Herm::aphrodite

Herm::aphrodite

World Première: 7th Porn Film Festival Berlin

27/10/2012 - 13h30 @ Moviemento Kino

 

Synopsis

This is the tale of a cock-less cock and a pussy-less pussy, all in one. An amateur project inspired by Chris Marker’s La jetée, as well as by the Countersexual Manifesto of Beatriz Preciado, this short movie explores a technologically mediated ambiguity of what it is to have a cock or a pussy, fucking most of all with gender.  Thus, a woman (?) can masturbate her cock (?) using her hand or a vibrator. The camera’s shutter (another technological device) can also be heard in action throughout the movie, along with the moans and sighs of pleasure. The songs add another layer of meaning, along with the voice-overs of several differently gendered people, who play around with the notion of what it is like, to have a cock – “now I have it… now I don’t” – addressing perhaps the audience, themselves, or even the phallus. The resulting techno-hermaphrodite has, above all, the power to transform itself.

 

Continuar...

Herm::aphrodite

Herm::aphrodite

Estreia Mundial: 7th Porn Film Festival Berlin

27/10/2012 - 13h30 @ Moviemento Kino

 

Sinopse

Esta é a estória de um caralho-sem-caralho e de uma cona-sem-cona, tudo-em-um. Um projecto amador inspirado pelo filme La jetée de Chris Marker, e pelo Manifesto Contrasexual de Beatriz Preciado, esta curta explora a ambiguidade tecnologicamente mediada do que é ter um caralho ou uma cona, procurando acima de tudo foder com o género. Assim, uma mulher(?) pode masturbar o seu caralho(?) usando a sua mão, ou um vibrador. O obturador da máquina (outro dispositivo tecnológico) pode também ser escutado em plena acção, junto com os suspiros e gemidos de prazer. As músicas adicionam mais uma camada de significado, junto com as vozes off de pessoas de diferentes géneros, que brincam com a noção do que é ter um caralho – “agora tenho… e agora já não” – dirigindo-se talvez à audiência, a si mesmxs, e até ao falo. X tecno-hermafrodita resultante tem, acima de tudo, o poder de se auto-modificar.

 

Continuar...

Fitas: sex-positive

Fitas sex-positive, by Ann Antidote e Daniel Cardoso.
Um artigo escrito a pensar em publicação integral, acerca de filmes DIY, guerrilla film making, festivais de cinema depravados, e outras coisas. 
 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
A ideia por detrás de se ser sex positive não é a de se converter todo o mundo num imenso bacanal em que pacatos cidadãos se magoem com risco de vida (e da dignidade) ao escorregar no lubrificante. Tal como o ativismo LGBT não pretende converter o globo numa legião tebana. A ideia - infelizmente pouco ventilada - por trás de uma postura sex positive, entre outras, é que todos os modos de vida conscientes e consensuais merecem respeito. Já dizia a avó: "não tenho nada a ver com o que as pessoas fazem umas com as outras lá na casa delas". E é assim mesmo.
 

Sex Positive: Portugueses mostram trabalhos lá fora

Artigo publicado na Revista Qüir nº3 (2012), na sequência da publicitação do filme Herm::aphrodite e do 7º Porn Film Festival Berlin. O texto completo que serviu de base ao artigo pode ser lido na página "Fitas: sex-positive", e é da autoria de Ann Antidote e de Daniel Cardoso. Uma errata à informação apresentada: apenas o filme "Herm::aphrodite" é da autoria de Daniel Cardoso.